Saiba como as suas emoções podem prejudicar os seus investimentos

Saiba como as suas emoções podem prejudicar os seus investimentos

Você sabia que um dos principais fatores que sabotam um investidor são suas emoções? E que isso pode ser mais comum do que imagina? Apesar de ser um assunto de extrema importância no mercado financeiro, são poucas as pessoas que conseguem dissociar os sentimentos das suas aplicações, principalmente na renda variável.

A consequência: perdas que se acumulam, tornando-se uma bola de neve e comprometendo boa parte do patrimônio. Para que você não passe pela mesma situação, podendo ocorrer até com os mais experientes, abordaremos abaixo como as suas emoções podem prejudicar os seus investimentos. Acompanhe.

Razão x emoção

A neuropsicologia já comprovou: comprar, seja um lanche ou uma ação da bolsa de valores, passa por um conflituoso processo que coloca a razão de um lado e a emoção do outro. Assim, o lado emocional afeta qualquer tipo de forma de lidar com o dinheiro – e não apenas nos investimentos.

Ou seja: o processo precisa ser racional. Deve-se reeducar a mente para que as decisões não sejam tomadas pela emoção, evitando o que é popularmente conhecido por ‘impulso’. Com esses pressupostos em mãos, podemos avançar e mostrar, efetivamente, como os sentimentos prejudicam os investimentos.

Como os sentimentos te prejudicam?

É impossível definir, de maneira geral, quais são as emoções mais latentes que afetam os investidores. Isso porque cada um possui uma personalidade e perfil de investimentos únicos. Mas, dentro do contexto do artigo, podemos mostrar como cada sentimento te prejudica na hora de investir:

Apego

Um investidor que é muito apegado a um tipo de aplicação (seja pela segurança ou conhecimento), pode deixar de ter uma rentabilidade melhor ou avançar no mercado financeiro.

Raiva

É muito comum que esse sentimento faça com que a pessoa abandone aplicações mais voláteis como ações, quando há perdas (sejam poucas ou muitas).

Ansiedade

A busca pelo retorno financeiro rápido ou a tentativa de se tornar um mega investidor de sucesso pode minar o caminho de muitas pessoas que não têm paciência e parcimônia nos investimentos.

Alegria

Sim: alegrar-se constantemente é um sentimento que sabota muita gente. Ao sentir um prazer com bons retornos, a análise sobre títulos e investimentos diversificados é minado, tornando o investidor um ‘escravo’ da aplicação.

Desânimo

O mais comum de maneira geral: a pessoa desanimada deixa de lado seus investimentos por frustrações que nada tem de racional.

Medo

Podemos definir o medo como um misto de todos os sentimentos quando falamos do mercado financeiro. Isso porque ele não surge por si próprio, mas acompanhado de uma ou mais emoções.

Como mudar esse cenário?

Felizmente é possível eliminar problemas emocionais ao investir. Para isso, necessita-se que, como elencado acima, a razão seja prioritária. Alcançar isso é possível através de metas e planejamentos estabelecidos, com estudo e paciência, para ver os resultados. Em resumo: nunca desviar do que fora previamente planejado e estabelecido.

É natural que as pessoas se tornem mais autoconfiantes ou ‘ariscas’ ao ganharem e perderem muito dinheiro, respectivamente. Contudo, essas emoções precisam ser momentâneas e, nas próximas aplicações, deixadas de lado.

Gostou deste conteúdo? Conheça nosso site e confira artigos exclusivos como este no blog.