O Investimento que você DEVE evitar

O Investimento que você DEVE evitar

Para você, o que é um péssimo investimento? O que exatamente faz um investimento ser péssimo? Baixa rentabilidade? Muito risco? Falta de liquidez? Existe diversas razões que podem fazer um investimento ser péssimo, porém, não é muito comum encontrarmos. Mas existe sim um investimento péssimo, e muita gente tem dinheiro investido.

A verdade é que não podemos definir um investimento como péssimo olhando simplesmente uma característica dele. Não é por que o investimento tem baixo retorno que é um péssimo investimento. Muito menos por que tem um risco muito alto.

Devemos fazer uma análise de “custo x benefício”. Um investimento pode ser péssimo, quando há uma rentabilidade muito baixa, com muito risco atrelado, além de um custo elevado em mantê-lo. Esse é um péssimo investimento. E o pior é que há milhares de pessoas que investem mensalmente em ativos assim!

Não, não é a poupança. Longe disso.

São os Planos de Previdência Privada.

Este investimento é feito por diversos brasileiros que procuram uma aposentadoria mais tranquila. Por isso optam por estes planos, salvando uma parte de seu salário para a previdência.

Pena que, geralmente, fazem um péssimo negócio.

O que é um Plano de Previdência Privada

Explicando de uma forma simples, um Plano de Previdência Privada é você depositar mensalmente um determinado valor em uma aplicação no banco, para que no futuro, você receba um “salário complementar” para ajudar na aposentadoria.

É isso, de uma forma simples e rápida.

A maioria é feito com o banco onde a pessoa já recebe o salário. É normalmente o primeiro investimento que o gerente da conta oferecerá ao cliente. Logicamente, não é o primeiro investimento que ele vai oferecer por que ele quer ajudar.

O motivo de ele querer que você contrate um plano de previdência privada é por que este investimento é o que irá gerar a maior quantidade de dinheiro. Gerar dinheiro para o banco.

Vamos fazer uma pausa e entender melhor as modalidades de Previdência Privada disponíveis para os investidores.

Existem 2 tipos principais de planos de previdência: PGBL e VGBL. Ambos têm o mesmo objetivo, que é o de acumular recursos para o futuro, mas vamos entendê-los um pouco melhor:

PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre): É indicado para pessoas que fazem a declaração completa do imposto de renda, pelo fato de que os aportes realizados podem ser deduzidos da base de cálculo. A dedução está limitada a 12% da renda bruta anual. O lado ruim é que o valor todo acumulado sofrerá incidência de IR quando for resgatado ou receber os benefícios.

VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre): É indicado para pessoas que fazem a declaração simplificada do imposto de renda (ou isentas) visto que não há o benefício fiscal que o PGBL oferece. A parte boa é que quando for resgatado ou utilizar os benefícios do plano, somente os rendimentos  obtidos no período serão tributados, e não o valor acumulado.

Esse investimento parece querer ajudar as pessoas, dá a impressão que faz as pessoas ficarem mais ricas e viverem melhor no futuro. Deixa as pessoas mais tranquilas.

Infelizmente, não é bem assim.

Claro, que com o dinheiro acumulado no final, deixará a pessoa mais tranquila, com uma liberdade financeira maior, porém poderia estar muito mais tranquila e livre (financeiramente) se tivesse um pouco mais de conhecimento e disciplina.

O fato é que esses planos cobram taxas absurdas nos investidores, comprometendo quase toda a rentabilidade. As taxas cobradas são:

  • Taxa de Administração;

  • Taxa de Carregamento;

  • Taxa de Saída.

A Taxa de Administração é cobrada anualmente, sobre o valor total que você tem investido. É uma das taxas mais comuns em investimentos como previdência, fundos de investimento e outros deste mesmo gênero.

Taxa de Carregamento é uma taxa cobrada a cada aporte mensal feito no investimento. Se você deposita todo mês R$ 100, por exemplo, e a taxa de Carregamento é de 1% quer dizer que você está efetivamente aplicando R$ 99.

Taxa de Saída é caso você queira retirar o dinheiro antes do previsto. Se por algum acaso, você precisar sacar o dinheiro que você aplicou até o momento, você paga essa “multa” por não levar até a data previamente acordada.

Como estas taxas comprometem muito a rentabilidade, além de ter um risco maior que na renda fixa e de ter liquidez praticamente zerada (ou paga uma multa/ uma alíquota gigante de IR) torna-se um péssimo investimento.

Provavelmente você já escutou alguém dizer que vale a pena investir em um PGBL para quem tem um salário alto devido aos benefícios do IR.

Benefícios no Imposto de Renda quando investir em um PGBL

Sim, há alguns benefícios no IR ao investir em um PGBL. Lembrando que o PGBL e o benefício fiscal só servirá para quem fazer a declaração completa do imposto de renda.

Aqui vale a pena ressaltar que você não tem nenhuma isenção de IR. Você está postergando o pagamento para o governo. É verdade também, que você pagará uma alíquota menor, conseguindo uma vantagem real.

O primeiro ponto que vale a pena ressaltar é que você pode reduzir em até 12% da sua renda anual no cálculo do imposto de renda, se estes 12% forem investidos em um PGBL.

Previdencia 2

É importante ressaltar que esta vantagem é importante. Se você segurar o investimento por mais de 10 anos, você pagará somente 10% de IR na fonte, porém, o valor tributado será no valor de todo o investimento, não só da rentabilidade.

Fiz um quadro comparativo para ficar mais fácil o entendimento.

Previdencia

Veja que se você tem uma renda de R$ 7.000/mês você consegue ter um ganho com o PGBL de IR de R$ 1.764 por ano. Neste quadro considerei ainda se o investidor segurar por mais de 10 anos o investimento.

Para quem ganha uma renda próxima de R$ 7.000 por mês, essa diferença de R$ 147 por mês de vantagem é um bom valor.

Para poder ter essa vantagem de R$ 147, será necessário deixar o dinheiro parado por no mínimo 10 anos.

O perigo é em saber todas as taxas que são cobradas de você.

Por mais que o PGBL tenha uma vantagem do IR, não será tão impactante quanto a liberdade de usar o dinheiro de uma maneira melhor, com maior liquidez e outras vantagens.

Lembrando que este valor deverá ficar sem movimentações durante 10 anos para ter esse benefício.

Estou considerando também que o investidor que ganha R$ 7.000 por mês aplicará mensalmente R$ 840 no plano de previdência, o que é um valor muito alto para aplicar somente num fundo de previdência.

Portanto, o valor de R$ 147 mensal é analisando a melhor hipótese possível.

É possível utilizar estes R$ 840 mensais de uma forma muito melhor, com tarifas infinitamente inferiores, uma liquidez muito maior para poder aproveitar oportunidade, entre outras vantagens.

Portanto, o benefício existe, mas é algo que deve ser estudado muito bem. Não é qualquer um que consegue avaliar se vai ser benéfico ou não investir num plano de previdência privada.

Aconselho você procurar ajuda de um profissional que poderá informar se o benefício do IR realmente será favorável para você.

O que fazer para garantir minha aposentadoria?

A melhor forma de substituir um plano de previdência é com conhecimento.

Você pode (e deve) substituir os aportes mensais em um plano de previdência privado por aportes mensais em outros investimentos.

Basta você enxergar estes aportes como uma dívida, assim como a poupança mensal destinada para um plano de previdência.

Há quem diga que acha melhor um plano de previdência privada, pois são aportes automáticos, não precisa ficar transferindo o dinheiro da conta.

Hoje, existem inúmeros bancos e corretoras que trabalham já desta forma para uma variedade enorme de investimentos.

Inclusive, é possível fazer transferências automáticas do seu banco para a corretora e da corretora para o investimento que você quiser.

A facilidade da automação não é mais desculpa para você ficar perdendo dinheiro.

Tendo o conhecimento e disciplina, você conseguirá uma rentabilidade muito maior que os planos de previdência.

Esse conhecimento que falo é um conhecimento básico, nada de demais. Um pouco de educação financeira já irá bastar para planejar seu futuro.

Vale ressaltar que também depende muito da previdência. Existem empresas que ajudam na previdência, colocando 100% do aporte que você faz. Assim, se você colocar R$ 100 a empresa ajuda com mais R$ 100 todo mês. Essa forma vale a pena, pois você já ganha 100% de lucro a cada aporte.

Onde investir para garantir a aposentadoria?

Os melhores investimentos para quem pensa em aposentadoria são os investimentos atrelados à inflação.

O motivo é simples: a inflação diz respeito ao preço médio dos produtos no futuro. Então, nada melhor do que garantir seu poder de compra para o futuro, e ganhar uma taxa real de rentabilidade em cima disso.

Temos que levar em consideração que estamos falando, geralmente, em um período de tempo de 10, 20 ou 30 anos. A inflação nesse período é monstruosa. Basta você pesquisar na internet algumas fotos de panfletos de supermercado, com R$ 1,00 você já podia sair com algumas guloseimas. Hoje, não existe nem mais a nota de R$ 1,00 por que não dá mais para comprar nada com esse valor.

A inflação é violenta no longo prazo, por isso sempre devemos pesquisar títulos indexados a ela.

O índice que segue a inflação é o IPCA, e existem alguns ótimos investimentos disponíveis no mercado para acompanhar esse índice.

Há 2 investimentos que considero os melhores investimentos para seguir a inflação: Tesouro IPCA e as **Debêntures Incentivadas.

Ambos seguem o IPCA e pagam uma taxa fixa real a mais. A diferença entre os 2 é, como sempre, o risco e a rentabilidade.

Investindo no Tesouro IPCA você terá muito menos risco, com isso, o retorno também será menor.

Já aplicando seus recursos nas Debêntures Incentivadas, você terá mais risco, pois estará emprestando dinheiro para uma empresa. Entretanto, o retorno será muito maior, além de ter a isenção de Imposto de Renda, o que faz o ativo ser muito atrativo.

Aplicando seus recursos mensalmente, você fará para você mesmo uma aposentadoria com muito mais recursos, liberdade para fazer o que quiser com o dinheiro, sem estar preso a qualquer gestor de plano de previdência.

Uma parte da renda deve também ser investida em renda variável, como ações e fundos de investimentos imobiliários. Com o conhecimento que você adquirir, você saberá quanto investir.

Mas para se preparar para a aposentadoria, o mais indicado são os 2 que falei anteriormente.

Já estou aplicando em um Plano de Previdência. E agora?

Não se preocupe. Você não tinha conhecimento suficiente para fazer a escolha certa no começo. Isso é normal.

Mas de agora em diante, é sim culpa e dever seu planejar melhor seus investimentos.

Primeiro passo pra quem já tem um Plano de Previdência é estuda-lo. Veja todas as tarifas e taxas cobradas de você. Analise o rendimento dos últimos 3-5 anos e veja se está tendo um resultado bom.

Se cobrar muito caro com um rendimento que não condiz com o preço que você está pagando, pare com os aportes mensais. Pare de colocar dinheiro hoje mesmo.

Procure por uma corretora para começar a investir no Tesouro IPCA e em Debêntures Incentivadas. Isso considerando apenas a renda fixa.

O segundo passo é verificar a taxa de saída do investimento e a taxa de IR para resgate. Se forem muito altas, simplesmente deixe o dinheiro lá rendendo até chegar a hora de utilizar o benefício ou quando sacar não houver tanto IR.

Caso for baixa, pode retirar o dinheiro e investir numa das opções que indiquei anteriormente.

Conclusão

Investir em Planos de Previdência Privada não vale a pena.

É difícil saber quando o benefício do IR se tornará um benefício para o seu bolso. É uma análise que um profissional poderá ajuda-lo a decifrar.

Você mesmo deve fazer o seu próprio planejamento para aposentadoria. É o melhor caminho.

Por mais que exista o benefício do IR quando investir em um PGBL, se analisarmos todas as variáveis, não valerá tanto a pena.

Fazer investimentos com base em ativos que procuram seguir a variação da inflação é o melhor “remédio” para seu dinheiro no futuro.

Os mais indicados são Tesouro IPCA e as Debêntures Incentivadas.

Preparar-se para a aposentadoria é fundamental! Conseguir manter o seu consumo de hoje no futuro é algo realmente complicado.

Pior ainda se você está esperando depender somente do INSS. Neste caso, até investir na previdência privada está valendo a pena.

Este excelente artigo é uma colaboração do Matheus Lange responsável pelo site http://economizareinvestir.com/ gostaríamos de agradecer ao Matheus por compartilhar este conteúdo precioso.

Grande abraço!