Corretora de ações, como escolher a sua

Corretora de ações, como escolher a sua

É cada vez maior o número de pessoas que está escolhendo diversificar seus investimentos e começam a olhar o mercado de ações com outros olhos. Não faltam histórias incríveis de pessoas que fizeram fortunas em pouco tempo, através de escolhas certeiras e muita sorte na bolsa de valores. Essa, porém, não é a realidade da grande maioria dos investidores: para conseguir retorno é preciso agir com inteligência, precisão e, acima de tudo, ser bem assessorado. E para quem ainda não tem conhecimento sobre o assunto, saiba que o primeiro passo é escolher uma corretora de ações. Para isso é preciso ficar atento e observar quais passos irão levá-lo para a melhor alternativa. Quer descobrir como? Confira no texto a seguir

Atendimento

O primeiro passo para decidir na escolha de uma corretora, especialmente se você é iniciante no mundo das ações, é observar o atendimento. Se ele for ruim, fuja, pois você poderá ficar a ver navios quando mais precisar. Ele deve estar disponível ao máximo para seus clientes e a busca constante na resolução de problemas e dúvidas é um grande diferencial. Uma equipe bem treinada e comunicativa é o mínimo que se espera desse tipo de empresa e você, como investidor recente, não deve abrir mão disso. Antes de abrir sua conta, ligue, pergunte, teste os meios de contato online (e-mail, chat, etc.) e cheque se é fácil resolver suas questões.

Preço

O preço não deve ser o principal fator na hora de escolher, mas logicamente tem sua importância. E vale ressaltar: as taxas variam bastante! Algumas corretoras não hesitam em cobrar dezenas de reais por ação executada, enquanto outras não chegam nem a dois reais. Entendeu a diferença? Consulte os valores cobrados para os tipos de ativo que pretende investir e veja qual empresa é mais atraente para seu perfil. Avalie também qual o canal de negociação que pretende utilizar: Home Broker ou mesa de ações. Se a corretora for agente integrado, isso permite que você compre e venda títulos públicos direto pelo Home Broker.

Ferramentas

Conhecer as ferramentas oferecidas pela corretora é essencial na hora de escolher. Muitas vezes você não precisa de muita coisa, portanto não deve pagar por isso. Mas algumas são quase essenciais: Tesouro Público, Home Broker e plataformas profissionais (muito boa para investidores mais sofisticados). Ter um sistema móvel é muito interessante também, pois permite que os clientes chequem seus dados através de aplicativos para smartphones ou tablets.

Serviços prestados

Alguns serviços complementares podem ser importantes na hora de escolher sua operadora. E eles também podem variar bastante! Mire nos mais essenciais, como relatórios de análise (divulgam as carteiras recomendadas), produtos (seguros, previdência e fundos de investimento), comunidade (inteiração com outros clientes), ferramentas de análise (possibilita análise integrada) e educacional (ideal para iniciantes, com oferecimento de cursos e palestras, além de material sobre o tema no endereço virtual da corretora).

Com essas dicas, você tem tudo para acertar em cheio na escolha da sua corretora de ações. Agindo com inteligência, você pode ter um bom retorno e, com o tempo, se tornar um belo investidor. E então, está esperando o que para escolher a sua? Se você ainda não tem muito conhecimento sobre o assunto e deseja aprender mais sobre como investir e quais os melhores tipos de investimentos clique aqui e conheça o curso Investidor de Sucesso.

Grande abraço e uma ótima semana.

Leia também:

5 corretoras de valores para começar a investir