Como lidar com os desafios financeiros de se morar sozinho?

Como lidar com os desafios financeiros de se morar sozinho?

Uma das decisões mais difíceis de serem tomadas na vida é a hora de deixar a casa dos pais. É verdade que há toda uma mística em torno do desejo de morar sozinho: a independência, a liberdade de ir e vir sem dar satisfação, a organização da casa à sua maneira (nem que seja uma “bagunça organizada”), entre outros aspectos. E por mais que isso seja real, a verdade é que morar sozinho é muito mais uma questão de planejamento e responsabilidade.

Você provavelmente está ciente dos desafios. Talvez até conheça algum amigo que também tomou essa decisão, e que por falta de organização hoje vive no aperto. Tudo o que você não quer é que isso aconteça com você, certo? Portanto, nós vamos te dar dicas de como lidar com os desafios financeiros desta nova fase.

Planejamento Financeiro é a chave

A questão financeira costuma ser a grande preocupação para quem está disposto a morar sozinho. E não é para menos. Afinal, se antes você dependia dos seus pais ou simplesmente os ajudava para manter as contas em dia, agora a responsabilidade é inteiramente sua.

Para não cair em armadilhas, tudo basicamente gira em torno do seu controle financeiro pessoal.

Moradia

O primeiro passo é basicamente saber se tem condições de arcar com os custos. Ao procurar o aluguel, por exemplo, defina um que esteja dentro do seu orçamento.

Se possível, uma estratégia que lhe ajudará a diminuir custos é escolher imóveis perto do seu trabalho ou faculdade. Assim, você não apenas consegue reduzir custos com transporte, como também melhora a qualidade de vida.

Defina um orçamento

Mas a estruturação das suas finanças vai muito além disso. Tenha em mente a sua renda mensal e faça uma estimativa dos custos fixos, especialmente com alimentação, transporte e contas de água e luz. Aliás, uma dica em relação a essas contas mensais é agrupá-las nas datas próximas ao pagamento do seu salário. Assim, você não corre o risco de acumular vencimentos atrasados.

Não subestime as despesas de emergência (especialmente com relação a saúde) e também os gastos supérfluos, ainda que eles devam ser relativamente contidos. A conclusão neste sentido é que, se você está disposto a viver em um padrão de vida acima do que pode custear, reveja urgentemente o seu planejamento.

Comprometimento

Uma boa forma de minimizar gastos também é se certificar que sabe se virar por conta própria. Se você não sabe cozinhar, por exemplo, os seus custos com a alimentação certamente podem estourar o orçamento.

Sem saber lavar suas roupas, os gastos com lavanderia também podem estourar o teto. Por isso, antes de organizar o seu bolso, é preciso que você também se comprometa pessoalmente com essa nova fase e se adapte ao seu novo estilo de vida.

Conclusão

Morar sozinho é uma decisão desafiadora, mas se bem planejada, fará com que você evite apertos desnecessários.

Siga esses passos e não tenha medo. Aproveite esta nova fase com responsabilidade!

Gostou das dicas? Agora que você já está pronto para começar a sua jornada pessoal, leia mais artigos do nosso blog agora mesmo!