Aprenda agora como investir no Tesouro Direto

Aprenda agora como investir no Tesouro Direto

Quando se pega um empréstimo, o seu pagamento é sempre acrescido de juros, que podem ser fixos ou variáveis, conforme ficou acordado no momento do empréstimo. O investimento no Tesouro Direto funciona também dessa forma, mas quem empresta o dinheiro é você e quem toma emprestado é o Governo Federal, que utiliza deste artifício como uma forma de arrecadar dinheiro para aliviar suas finanças.

Ao ressarcir esse dinheiro, o Governo pagará uma taxa para você, da mesma forma que você tem que pagar os juros para um banco quando faz um empréstimo. Essa taxa paga pelo Governo Federal costuma ser muito mais atrativa do que a de alguns outros investimentos, como a poupança por exemplo, por este motivo  o Tesouro Direto é considerado um excelente investimento, além de ser bastante seguro, pois considerando que se o governo de um país chegar a um ponto de não ter condições de pagar suas dívidas, imagina-se que os outros tipos de negócios provavelmente também não estarão indo bem.

Um dos pontos fortes do Tesouro Direto continua sendo o valor mínimo de investimento, com apenas R$30,00 você pode começar a investir no Tesouro Direto. Quer saber como fazer, quais são as taxas e outros detalhes desse assunto? Então continue lendo este artigo!

Como começar?

Existem duas maneiras de investir no Tesouro Direto: ou você pode participar de um fundo de investimentos que tenha títulos do Tesouro, ou você pode comprar diretamente na Secretaria do Tesouro, através da internet. Neste artigo falaremos sobre como você pode investir no Tesouro Direto de forma independente, sem participar de um fundo de investimento. Saiba que apesar de parecer complicado, todo o processo é muito mais simples do que você imagina. Para começar investindo diretamente no Tesouro, será necessário apenas residir no Brasil, ter um CPF e contar com o serviço de algum banco ou corretora autorizada a comprar esses títulos.

Mas para qual é o papel da corretora neste processo? A corretora é uma empresa que faz o intermédio entre o comprador do título, e o vendedor do título, que no caso do Tesouro Direto é o Governo Federal. O primeiro passo para começar a investir é escolher uma corretora que atenda as suas necessidades. Após abrir a conta em uma corretora, que por sinal é idêntico a ter uma conta em um banco, basta transferir o dinheiro para conta da corretora e começar a comprar os títulos que você deseja investir. Se você ainda não conhece nenhuma corretora, leia o artigo 5 corretoras de valores para começar a investir.

Quais tipos de título posso comprar?

São dois os tipos de títulos públicos, diferenciando-se de acordo com sua rentabilidade. Os títulos pré-fixados são aqueles que possuem a rentabilidade definida no ato da aquisição, ou seja, o valor que seu dinheiro renderá já está fixado e independerá das variações do mercado durante o tempo de investimento. No momento que você compra este título, já é possível saber qual será o total do rendimento do seu investimento. É um título mais seguro, porém costuma ter um rendimento um pouco menor.

Já os pós-fixados, são títulos que variam de acordo com alguns parâmetros como a taxa Selic por exemplo. Pode ou não ser um negócio melhor do que o pré-fixado, isto depende de qual será o valor do título no momento em que ele for resgatado. Por isso é importante sempre considerar os rumos que o mercado está tomando e como a economia está caminhando.

Existem variações dos tipos destes títulos?

Nos pré-fixados existem o Tesouro Prefixado e Tesouro Prefixado com Juros Semestrais e nos pós-fixados existem o Tesouro Selic, Tesouro IPCA Juros Semestrais (Índice Nacional de Preços ao Consumidor) e Tesouro IPCA. Cada um com suas particularidades. Acessando o site do Tesouro, você pode obter informações mais detalhadas sobre cada um destes tipos.

Quais são as taxas para investir no Tesouro Direto?

Como toda operação com títulos públicos, existem taxas a serem pagas para investir, que no caso do investidor direto são duas:

  • Taxa de corretagem, paga por cada operação de compra e venda;

  • Taxa de custódia, paga à Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia pela posse do título;

Para quem opta por investir através de fundos de investimentos, é necessário ainda considerar as seguintes taxas:

  • Taxa de administração do fundo;

  • Taxa de performance, quando estes superam a rentabilidade esperada.

Se você está realmente interessado neste assunto, saiba que o governo oferece uma plataforma para auxiliar os investidores, o Portal do Investidor, ótimo ponto de partida para esclarecer alguns pormenores relevantes.

Nós passamos pelos pontos mais importantes sobre como investir no Tesouro Direto. Existem, é claro, muitas outras questões que são inerentes ao dia a dia de quem trabalha com investimentos e que precisam ser estudadas à medida que forem surgindo. O ideal é analisar bem as possibilidades e tomar decisões pensadas, assim se evita surpresas desagradáveis e escolhe qual é a melhor forma de investir o seu dinheiro.

Se você deseja aprender tudo sobre como investir no Tesouro direto, recomendaria a aquisição do curso “Tesouro Direto - Carteira Rica”. É um excelente curso, possui bastantes dicas, informações detalhadas e já foi adquirido por milhares de pessoas.

Então é isto, esperamos que a partir agora você já seja capaz de começar a dar seus primeiros passos e começar a investir no Tesouro Direto.  Se gostou do artigo, clique botão de curtir e compartilhe e suas redes sociais.

Caso tenha alguma dúvida, deixe uma pergunta nos comentários abaixo.

Grande abraço e até a próxima.

 Confira também:

Curso completo Tesouro Direto