20 de julho de 2017

Introdução: como sair do vermelho – parte 1

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

Saiba Como Sair do vermelho e viver melhor. Conheça as estratégias de quem saiu do vermelho e alcançou um patamar econômico excelente. Pois, sair do vermelho vai muito além de pagar as contas. Tem que ter pulso firme para não voltar as dívidas.

Texto de Anderson Adami – Revisão de Everton Ricardo e Narração de Paulo Carvalho.

Esse é um guest post do leitor: Anderson Adami é graduado em Gestão da Informação, especialista em Gestão Empresarial e mestrando em Engenharia de Produção.Atua como consultor em gestão empresarial e de informação, assim como, escreve e revisa textos nas horas vagas.

O excelente texto de autoria de Anderson dá uma idéia de introdução de como sair do vermelho, ou seja, quitar as dívidas começando pelo plano de orçamento financeiro.

Boa leitura !!

Gastar mais do que se ganha tem sido uma prática bastante comum. Segundo dados do Banco Central e da Confederação Nacional de Comércio, mais de 50% dos consumidores no Brasil enquadram-se nessa situação, que realmente se torna um problema quando, a partir de um certo momento, você percebe que não sabe mais o que fazer para sair do vermelho. Pior do que isso, dia a dia, nota que os efeitos de estar no vermelho vão se tornando cada vez mais incômodos, envolvendo circunstâncias como cobranças constantes, stress, dificuldades no trabalho, conflitos nas relações, para citar algumas.sair-vermelho

Mas não se desespere (Clique aqui e confira algumas dicas para que você consiga manter a calma), lá no final do túnel ainda há uma lamparina indicando o caminho a seguir. E o primeiro passo para sairmos do vermelho é entendermos exatamente como entramos. Isso porque, ao contrário do que se pensa, o principal motivo que leva uma pessoa a se endividar até o ponto em que as dívidas fogem do controle, não é o hábito de comprar por impulso ou, como alguns afirmam taxativamente, por falta de responsabilidade, mas é, sim, por falta de informação.

Veja que ter informação, nesse caso, não envolve simplesmente saber quais dívidas causaram a derrocada final das nossas contas, mas envolve conhecermos em detalhes as circunstâncias e fatores relacionados ao processo de endividamento e, sobretudo, envolve conhecermos as regras do jogo. Como sair do vermelho é um jogo de emoções e persistência! Como sair do vermelho não só em 2011, mas também em 2012 e ai por diante.

Continuando nosso tema. Essas regras já estão, de cara, estampadas nas estatísticas: em média, entre 25% a 30% da renda dos brasileiros têm sido abocanhada pelas instituições de financiamento e crédito, dadas as altas taxas de juros cobradas. E é aí que entram o cheque especial e o cartão de crédito como os maiores vilões. Eu sei, claro, que eles também são as maiores tentações, principalmente quando surge aquela oferta imperdível  na internet: preço excelente, frete grátis, 12x sem juros, mas só dá para comprar com cartão. Ou quando você precisa de dinheiro com urgência e, então, o cartão do cheque especial te sorri com o polpudo limite que o simpático gerente do teu banco concedeu. E mais do que nunca, nesses momentos a informação se faz novamente necessária, imperiosa, divisora de águas. O fato é que antes de decidir sobre uma compra ou um saque, é possível saber exatamente qual o impacto que isso vai gerar em teu orçamento a médio e longo prazo. A informação, aqui, está no controle mensal das despesas, que é muito simples de fazer, toma apenas alguns minutos, podendo ser registrada tanto na caderneta quanto no Excel. Vamos sair do vermelho? Eu ajudo. ok? Basta escrever nos comentários e repondo com o maior prazer.

Em suma, portanto, para você sair do vermelho, em primeiro lugar assegure-se de estar bem informado. Crie um controle detalhado de teu orçamento (Confira aqui algumas ferramentas que podem te auxiliar nesta tarefa) para levantar exatamente quanto precisa para manter as suas despesas mensais. De posse desses dados, você pode fazer simulações, identificar quais despesas podem ser cortadas e, a médio ou longo prazo, como os cortes vão ajudar na amortização das dívidas. E tem mais, muito mais, mas esse é um bom modo de começar. Leia também Como sair do vermelho – parte 2.

Baixe Grátis o áudio em MP3 deste artigo aqui:

Introdução: Como Sair do Vermelho.

Texto de Anderson Adami – Revisão de Everton Ricardo e Narração de Paulo Carvalho.

 

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.
23 Comentários

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *