16 de dezembro de 2017

FGC – Fundo Garantidor de Crédito – Aprendendo mais.

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

fgc-fundo-garantidor-credito

 

Geralmente, todo investidor que procura uma maior segurança em suas aplicações financeiras procura órgãos que lhe garantam algum crédito no caso de um imprevisto. O Fundo Garantidor de Crédito (FGC) é um desses órgãos, porém, muitas pessoas ainda não sabem muito sobre ele.

É importante que o investidor saiba como funciona essa proteção para seu crédito, que vai além de garantir segurança para investimentos e otimizar sua organização financeira.

Ficou interessado? Então descubra alguns fatos sobre o FGC que você provavelmente não sabia e se mantenha atualizado!

1. Não é um órgão publico

Fundo Garantidor de Crédito (FGC) é uma ONG, ou seja, é uma associação sem fins lucrativos que tem como objetivo principal proteger o crédito dos clientes nas instituições financeiras. Deste modo, o FGC foi construído na forma de uma instituição de natureza privada e foi estabelecido em uma resolução do Conselho Monetário Nacional em 1995.

A instituição é apoiada pelos bancos em geral, que mantêm o FGC ativo fazendo contribuições em dinheiro, ditadas em um percentual dos depósitos protegidos. Em troca, as instituições que apoiam o FGC recebem as garantias que ele pode oferecer.

2. Garante mais do que os seus investimentos

A garantia presente nos investimentos que são acobertados pelo FGC, como CDB, LCI e LCA, é um dos fatores que levam investidores a aplicar seu dinheiro nesses papéis. Dessa forma, a circulação desses investimentos acaba se tornando maior.

O que a grande maioria das pessoas não sabe é que outros setores de crédito também são garantidos pelo FGC, apesar de não serem investimentos. A conta corrente, por exemplo, é acobertada pelo fundo, como também a poupança, que tem uma leve remuneração mensal. Obviamente, o valor assegurado respeita os limites de garantia do fundo.

3. Não dá garantia em dobro para contas conjuntas

Atualmente o valor total que o FGC pode garantir ao investidor é de 250 mil reais por CPF e por instituição financeira. Desta forma, se a conta corrente, a poupança e os investimentos do usuário somarem um valor superior a esse, o fundo não poderá contemplar todo o crédito.

No caso de contas conjuntas, aquelas que possuem dois CPFs, o valor NÃO é duplicado. Então, mesmo que sejam duas pessoas, o máximo que o fundo pode garantir é o valor mencionado.

4. Possui um prazo médio de pagamento das garantias

Geralmente, quando uma instituição financeira quebra, o processo burocrático desta situação é lento. Os clientes acabam levando um certo tempo até serem pagos.

Regra geral, o tempo médio de espera fica em torno de 3 meses até que todo os contratempos jurídicos sejam acertados e durante esse período o dinheiro que fica preso não gera os rendimentos que deveria.

5. Exerce outras atividades além de garantir crédito

Um dos fatos sobre o FGC que pode ser colocado como muito relevante é que sua função vai muito além de garantir o crédito de terceiros. Ele também presta serviço aos bancos, garantindo liquidez e otimizando as estruturas de capital, além de facilitar a transferência de controle, auxiliando o sistema financeiro nacional.

Quebrar os mitos e conhecer os fatos sobre o FGC ajudarão o investidor na sua tomada de decisão ao escolher as aplicações que vão compor sua carteira de investimentos. Manter-se atualizado sobre este tema capacita as pessoas a ampliarem sua renda extra.

Gostou do conteúdo? Então compartilhe nas suas redes sociais e para que seus amigos também saibam mais sobre o FGC!

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.
Um comentário

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *