24 de julho de 2017

Entrevista com Fábio Portela

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

Hoje tenho o prazer em dar continuidade na seção Bogueiros Notáveis, onde estamos entrevistando os autores de blogs sobre finanças e investimentos. O entrevistado de hoje é meu amigo Fábio Portela, autor e responsável pelo site O Pequeno Investidor, compartilhando excelentes textos e ideias sobre investimentos e contando causos que realmente interessa ao pequeno, médio e grande investidor. 

O Pequeno Investidor é onde podemos encontrar textos de primeira linha, onde seu autor sempre presa a originalidade e sempre procurando ser o pioneiro nas informações sobre o mercado, incluso o mercado imobiliário. Quando o assunto é sobre a bolha imobiliária brasileira todos sabemos onde encontrar artigos relacionados. Eu mesmo já participei do blog através de vários comentários, pois sei que os artigos publicados lá, são excelentes, não só pela sua credibilidade, mas pelo conhecimento de causa do autor.

Compartilhando posts quase que diariamente, escrevendo suas experiências, mostrando as fontes e compartilhando ideias. Gosto bastante da maneira como o Fábio escreve direcionado ao pequeno investidor.

Gostaria de dizer que respeito muito você, Fábio, pelo seus posts já publicados em seu site, pela sabedoria em escrever com simplicidade e sem economês, com humildade e ótimas ideias. Poderia dizer que essa será uma conversar entre amigos, embora não nós conhecemos pessoalmente, apenas virtual. Quando o tema é investimentos em ações e mercado imobiliário brasiliense (poderia também dizer nacional), os leitores desse blog sabem que as preciosas informações da web2.0 brasileira estão no site O Pequeno Investidor.[...]

Olá Fábio, seja bem vindo ao Finanças Forever. Agradeço a disponibilidade em participar desta entrevista.

Amigo, a princípio peço a gentileza que fale um pouco de você mesmo: 

Fábio: Everton, em primeiro lugar eu agradeço a oportunidade de participar do excelente blog “Finanças Forever”. Parabéns por sua iniciativa de trazer educação financeira de qualidade em um ambiente onde, infelizmente, há muita gente ensinando princípios que apenas arruinarão as finanças dos pequenos investidores.

Bom, eu tenho 30 anos, sou brasiliense e moro na capital brasileira desde  que nasci. Sou servidor público e acadêmico (tenho dois mestrados, em direito e em filosofia ,pela Universidade de Brasília). Gosto de ir a fundo em tudo pelo que sou apaixonado: adoro musica erudita e filosofia – e foi isso que, eventualmente, me trouxe para o mundo dos investimentos. Lendo autores como John Rawls, John Stuart Mill e Adam Smith, eu percebi o quanto a economia é central para compreender o comportamento humano. Eventualmente, como uma coisa leva à outra, acabei sendo “fisgado” pelo mundo das finanças pessoais. Também adoro futebol – e torço bastante pelo Vasco da Gama, que tem sido um caso bem sucedido de “turn around” no futebol brasileiro.

Everton: Nossa que bacana, estamos aqui conversando com uma pessoa que, além de blogueiro notável é também muito culto e estudioso.

E qual foi o seu primeiro contato com as finanças?

Fábio: Eu invisto desde que comecei a trabalhar, em 2004. Mas antes eu investia apenas na renda fixa (poupança e fundos que investiam em títulos do tesouro nacional). Em 2006, comecei a me aventurar com as ações. Depois de um breve prejuízo, que obtive seguindo as recomendações dos analistas financeiros, decidi que iria estudar mais a fundo o mercado.

Quando e quem te ensinou algo sobre investimentos?

Fábio: Depois desse primeiro contato, em 2006, com o mercado de ações, eu li obras excelentes nessa fase – como o fantástico livro do Décio Bazin, que todo investidor deveria ler (“Faça fortuna com ações antes que seja tarde”) – e as obras de autores brasileiros como Gustavo Cerbasi e Mauro Halfeld, cujos boletins eu ouvia na CBN. Em 2007, comecei a ler obras de mais peso, de autores estrangeiros (eu adoro ler em inglês!), como Phillip Fisher, Christopher Browne e Peter Lynch.

Mas acho que devo meus conhecimentos financeiros a dois amigos meus: o Marcelo Trindade, que é amigo desde a época do primeiro grau (e um leitor assíduo do blog) e André Franco, que conheci em uma comunidade de investidores no Orkut. Os dois me apresentaram o Value Investing e os princípios de Graham e Buffett. Os livros Security Analysis e The Intelligent Investor, do Benjamin Graham, e The New Buffettology, foram essenciais para a minha formação. Com a leitura dos livros, mais e mais tive a certeza de que o mercado de ações é o melhor destino para o meu dinheiro, desde que eu investisse com disciplina e todo mês, com a meta de formar preço médio. Só voltei ao mercado em maio de 2008, pouco antes do estouro da crise de 2008 – mas como investi pouco dinheiro, fui acumulando ações de empresas excelentes a preços razoáveis.

Everton: Como você faz para estar sempre informado sobre o tema?

Fábio: Leio bastante. Dou menos atenção para os jornais e revistas – eles apresentam muito ruído e pouca informação relevante. Prefiro ler os clássicos e os livros dos grandes investidores. Prefiro aprender com gente como Buffett, Graham, Fisher e Lynch do que com o pessoal da análise técnica; até aqui, a análise fundamentalista mostrou melhores resultados no longo prazo do que a análise técnica.

E quando você teve a ideia de criar o blog “O pequeno investidor? Dê quem foi a ideia? 

Fábio: O idéia do blog começou a surgir no início de 2009. Como eu estava obtendo bons resultados no meio da crise de 2008 aplicando os ensinamentos obtidos, e percebia como a imprensa especializada e as corretoras não se preocupavam em ensinar esses princípios a seus clientes, eu resolvi compartilhar meu conhecimento com quem quisesse aprender. O objetivo do blog não é o de impor aos leitores qualquer estratégia; assumo que meus leitores são pessoas inteligentes o suficiente para decidir seu próprio caminho. Pretendo apenas mostrar algumas informações que a maioria dos livros e sites brasileiros não mostram. Por exemplo, nunca vi ninguém falar na taxa de crescimento dos dividendos pagos por empresas lucrativas, mas é algo que aprendi com a análise de balanços ao longo do tempo. Também nunca vi nenhum autor brasileiro comentando o conceito de equity bond, que abordei outro dia. E são conceitos essenciais para que um investidor iniciante se sinta seguro de investir em ações.

 Everton: Você poderia indicar alguns livros aos investidores iniciantes?

Fábio: Acho que já mencionei as principais obras. Para quem está começando, indico os livros do Cerbasi e do Mauro Halfeld. Pra quem está começando, o livro do Kyiosaki (Pai Rico, Pai Pobre) é interessante. Outro livro interessante é o “O Milionário mora ao lado”, que mostra como os verdadeiros ricaços são pessoas disciplinadas, e não esbanjadores. Nos livros do Halfeld, há alguns conceitos conservadores demais para quem é jovem, mas são livros que dão uma idéia boa das opções disponíveis para a maioria dos investidores. Daí pra frente, recomendo os livros de Graham (O Investidor Inteligente foi publicado em português recentemente e, embora a primeira edição tenha sido esgotada, acredito que logo haverá uma segunda), Phillip Fisher, Peter Lynch (os principais livros dos dois autores foram traduzidos recentemente), e os livros da Mary Buffett (The New Buffettology e Warren Buffett e a análise de balanços). 

Everton: Qual a sua visão sobre o mercado financeiro atual?

Fábio: Vejo muito ruído. O mercado dá muita atenção às informações que estão na ordem do dia. Hoje, a preocupação é uma e as bolsas caem; amanhã os mesmos fatores permanecem e as bolsas sobem porque o “mercado” dá mais atenção a notícias boas do que as ruins. Hoje, a preocupação é com a dívida dos EUA e da Europa. É um problema sério, mas ele já estava aí há alguns anos. Bill Gross, da PIMCO, escreveu sobre isso em janeiro de 2010 e quase ninguém deu bola.

O que eu vejo é um período de baixo crescimento econômico na Europa e nos EUA. Eles precisam disso. É assim que a economia capitalista se renova e se dinamiza para sustentar maiores crescimentos no futuro. É preciso diminuir a dívida pública e, por isso, acredito que a inflação aumentará nos EUA, para diminuir o valor real da dívida. Pessoalmente, vejo uma situação parecida com a do fim da década de 1970, quando, após grande crescimento, o mundo viveu uma “década perdida”. No Brasil, não fizemos as reformas que precisávamos nos tempos de bonança, e nosso governo apenas surfou a onda do crescimento. Acredito que perdemos uma grande oportunidade de arrumar a casa, e agora talvez paguemos o preço dessa política irresponsável.

Everton: E pra finalizar a nossa conversa de forma clássica, peço que, por favor deixe uma mensagem  para os leitores desse blog.

Fábio: Passar por uma crise financeira é difícil. Mas sou um otimista. Acredito que, na turbulência, nossas boas empresas serão ainda melhores. Acredito que daqui a 20 anos, a economia mundial será melhor do que é hoje. Quem investia na bolsa americana durante a crise de 1929 e permaneceu com seu dinheiro lá, aplicando aos poucos, teve bons lucros nos 20 anos seguintes. Não vejo porque seria diferente hoje, mesmo que o Ibovespa despenque a 29.000 pontos ou menos. Se acontecer, será uma excelente oportunidade para acumular ações de boas empresas – sempre monitorando-as e mantendo uma carteira diversificada, claro, para evitar surpresas desagradáveis

Everton:

Bom, gostaria de parabenizá-lo pelo seu site, O Pequeno Investidor está com excelente conteúdo, designer e layout novo em 2011 e logo inovado. Além da abordagem dos temas relacionados com finanças, economia e investimentos são de extrema importância. Gosto bastante quando você escreve suas opiniões pessoais sobre renda fixa e/ou renda variável.

Uma das duas coisas que mais me atento em seu site são: primeiro é a maneira como você escreve sobre temas do momento, onde você sempre consegue escrever algo mais interessante que outras páginas virtuais por ai. Em segundo lugar, esta relacionado com os textos sobre o mercado imobiliário. Que me interessa muito, pois sou investidor nessa classe de ativos.

É verdade que você escreveu mais sobre o assunto no passado, porém os artigos estão lá para todos lerem quando bem entender. O texto que mais me chamou atenção foi aquele que você conseguiu explicar de uma particularidade incrível o fato da relação entre o aluguel anual e o valor praticado na venda de um imóvel em Brasília, onde escreveu, inclusive com exemplos práticos em valores, exemplificando que par reajustar essa relação seria necessário aumentar o valor do aluguel dos imóveis nessa região do país.

Para os interessados, aqui esta o texto: A bolha imobiliária de Brasília e os aluguéis.

Desejo sorte ao amigo e bons investimentos. Um forte abraço!
Siga-nos no Twitter: @everton_ric  e  @fabio_portela

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.
7 Comentários

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *