18 de setembro de 2018

Empreendedorismo gerado pela liberação da maconha

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

empreendedorismo-gerado-pela-liberacao-da-maconha-e-outros-paises

A liberação da maconha ainda é um tabu no Brasil. Enquanto o assunto ainda gera discussão em terras tupiniquins, a maconha já é legalizada em países como Holanda, Espanha (onde não há uma legislação clara a respeito), Estados Unidos e Uruguai, onde são permitidos tanto o cultivo quanto a venda. Diferente do que imaginamos, na Jamaica (famosa terra de Bob Marley) até 2015 o consumo era proibido, na conjuntura atual o usuário pode andar com pequenas quantidades.

A grande questão é: o que mudou nestes países após a liberação da maconha e como isso afeta o empreendedorismo?

A situação da maconha no Brasil: O país está preparado para a liberação?

O uso e a liberação da maconha no país dividem opiniões. Não só no Brasil, como no mundo, a maconha é de longe a droga mais consumida. O levantamento feito em 2016 pela Global Drug Survey (GSD) com 28 países, aponta que a faixa etária média que mais consome a erva é de 29 anos, sendo na sua maioria homens.

Outras substâncias ilícitas como cocaína e crack, por exemplo, são utilizados em uma quantia bastante inferior, comparado a maconha. São estes dados que preocupam as autoridades.

Enquanto uns acreditam que a liberação da maconha para fins medicinais é positiva, outros creem que o tráfico não seria combatido, e a violência aumentaria.

A atual realidade no país é a previsão da Anvisa regularizar o cultivo da erva para fins de pesquisas e uso medicinal. O Estado do Paraíba tem o primeiro plantio legal da cannabis para uso medicinal, autorizado pela Justiça Federal. A Associação Brasileira de Apoio Cannabis Esperança (Abrace Esperança) é a pioneira a desenvolver óleos com base em maconha, que tem como objetivo tratar uma série de doenças.

No Brasil, empresas se preparam para lucrar com o uso medicinal da maconha

Com a previsão da regulamentação do cultivo da planta, o mercado brasileiro pouco a pouco começa a se movimentar. No interior do Estado de São Paulo, foi fundada uma empresa voltada para pesquisas e expansão de um suporte que possibilite a produção de remédios à base da erva.

O empreendedorismo gerado pela maconha nos Estados Unidos

A liberação da maconha em algumas cidades dos Estados Unidos representou um ótimo negócio.

Desde que foi legalizada para uso recreativo no ano de 2014, o estado do Colorado tem gerado novas oportunidades no mercado, dentre elas a valorização dos imóveis – graças à iniciativa “corrida verde”.

No Colorado, a variante do valor dos empreendimentos foi de 6% a mais, comparado aos demais estados do país que ainda não liberaram a planta.

Novos empreendedores no Uruguai

Outro país onde a liberação da maconha gerou novos empreendimentos foi Uruguai. Desde que o governo uruguaio estabeleceu a produção, o consumo e distribuição da erva em 2013, novos negócios têm surgido, muitos deles idealizados por brasileiros que vivem no país.

Observa-se que a legalização não só despertou o interesse em empreender na área, quanto proporcionou a devida segurança para adentrar ao mercado. No país, estabelecimentos como growshops e headshops têm crescido e muito.

Os coffeeshops da Holanda

Ao contrário do que muitos pensam, a Holanda não é o país mais liberal e tolerante da Europa, quando se trata de maconha. No país, é permitido que residentes e turistas comprem a planta em cafeterias, entretanto, é proibido o cultivo para consumo. Desde o fim da década de 1970, a venda de cannabis é permitida, sob fiscalização.

Ainda assim, os coffeeshops não deixam de ser um dos mais conhecidos empreendimentos do país.

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *