18 de novembro de 2018

Diferenças entre um empréstimo e um financiamento

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

diferencas-entre-um-emprestimo-e-um-financiamento

Em algumas fases da vida muitas pessoas se deparam com momentos decisivos em que acabam precisando de dinheiro para investir em algo, para quitar dívidas ou mesmo por qualquer outra necessidade pessoal. Nesta hora diversas opções passam a ser consideradas, e dentre elas os empréstimos e financiamentos. Acontece que há algumas diferenças significativas e determinantes entre os dois, e que devem ser consideradas antes da escolha propriamente.

Para saber mais sobre os pontos de diferenciação entre empréstimo e financiamento e sobre qual seria a escolha mais adequada para o seu caso em específico, além das vantagens e desvantagens de cada um, acompanhe as dicas especiais que preparamos:

A definição de empréstimo e suas vantagens e desvantagens

Em primeiro lugar, como o próprio nome sugere, o empréstimo nada mais é do que uma situação na qual a instituição empresta uma determinada quantia em dinheiro ao cliente. Nestes casos, o uso atribuído ao montante em dinheiro fica por conta do cliente e não necessariamente deve ser declarado ou justificado no momento do contrato. Em troca, o cliente deve pagar a mesma quantia que recebeu emprestada, mas com o acréscimo de juros, que variam de instituição para instituição. Após uma análise de crédito detalhada do cliente a instituição decide por liberar ou não o valor do empréstimo. Por ter uma análise menos rígida, se comparada a do financiamento, a liberação da quantia é mais rápida, mas costuma ter taxas e juros mais altos, justamente pelo fato de não haver uma necessidade de declarar o objetivo de uso do valor.

A definição de financiamento e suas vantagens e desvantagens

Já no caso do financiamento as condições para a concessão são um pouco diferentes. O cliente deve declarar qual será a finalidade específica do valor a ser recebido, além da necessidade de declarar os dados do bem ou do serviço, como forma de garantia a instituição. Os valores concedidos no financiamento costumam ser mais altos que os dos empréstimos, e por este motivo a análise de crédito do cliente é muito mais rígida e deve ser muito mais detalhada. Por ser um processo muito mais burocrático, os juros a serem pagos junto do valor da quantia recebida costumam ser menores, e ainda há a possibilidade de negociar o pagamento para que seja realizado a longo prazo. Os casos mais frequentes são financiamentos de imóveis ou veículos, por seus valores serem mais elevados.

Empréstimo ou financiamento? Qual dos dois é o mais indicado para a minha situação?

O primeiro passo para decidir por uma das duas opções é analisar detalhadamente qual será o objetivo do dinheiro. No caso de valores mais baixos, como uma dívida com algum fornecedor de sua empresa, ou mesmo a compra de algum material em pequena quantidade, o mais indicado seria um empréstimo, por conta de sua burocracia menos vagarosa e liberação mais rápida. Mas se o seu objetivo for investir um capital maior em sua empresa, no caso de modernizá-la, ou mesmo comprar um imóvel ou automóvel para ser utilizado no seu negócio, a opção mais eficiente seria a de um financiamento.

São várias as diferenças entre cada um, e para tomar a melhor decisão entender e verificar os próprios objetivos é sempre válido.

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *