26 de março de 2017

Dicas de economia doméstica no supermercado (1ª. parte)

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

A preparação do texto fez parte de minha própria experiência no supermercado.

Atendendo a pedidos. Vida Vegana, esse post é pra você. Grato pela solicitação e compreensão. Pois essa será apenas a primeira parte de um texto em duas partes. Decidi dividi-lo, pois estava ficando muito maior do que eu poderia imaginar. Tenho muita coisa pra dizer-lhes sobre esse tema.

Onde mais gastamos o nosso precioso dinheiro é na alimentação. Então, onde teoricamente deveríamos cuidar melhor de nossas ações compulsivas de compras: no supermercado. Correto? Exato. Corretíssimo.

A idéia é formarmos uma mente pensante, onde podemos nos colocar a frente de nossos gastos e cuidar cada vez melhor do nosso dinheiro. A compra no supermercado é o melhor momento para nós conhecermos. Evitando o desperdício, escrevi sobre o desperdício de alimento aqui nessas páginas, clica e leia > (Dicas de economia doméstica evitando desperdício_de_alimento), quando demos dicas de reaproveitamento de tudo que sobrou do dia anterior, reutilizando as sobras de alimentos.

Podemos também aplicar a tática de comprarmos em quantidade maior do que o normal somente o que está em oferta e estocarmos em casa.

As dicas abaixo, são algumas das que utilizo para viver melhor financeiramente. Isso pode significar que em outras ocasiões as mesmas sejam absurdas ou nem tão práticas assim. A praticidade de uma atitude de consumo vai de encontro com o estilo de vida da pessoa. Em meu cotidiano nem sempre necessito comer comidas prontas (congeladas) e evito ao máximo efetuar refeições fora de casa, exceto em ocasiões especiais.

Poderia aqui escrever dicas como: leve sempre uma listinha de compras junto com você ao supermercado, efetue compras somente depois de uma refeição, evitando assim ir ao mercado sem comer, com fome a cabeça tende em comprar mais, compre somente o que necessite etc, etc, etc.

Entretanto, não vou ficar falando sempre as mesmas coisas. Esse é o lema desse blog, a proposta aqui é ficar longe da linha de outros excelentes blogs sobre finanças. Por isso vou ser diferente e escrever algo que você provavelmente ainda não tenha lido.

Créditos da imagem: freedigitalphotos.net

  • Dica número 1. – Não compre produtos PREMIUM. 


Na maioria das vezes, os alimentos rotulados como sendo premiuns são os mesmos de outras marcas, superiores ou inferiores em qualidade, porém somente o rótulo foi alterado. O Premium não é necessariamente melhor, somente é um modelo diferente. Não utilize o pensamento de que: se minha mãe compra esse tal produto (de marca e mais caro) também o comprarei e sei que é melhor. Falarei mais sobre isso adiante.

  • Dica número 2. – Elabore uma lista de preços.

Explico: Você só poderá economizar dinheiro no supermercado quando souber que realmente está comprando algo mais barato. Assim sendo, efetuar uma compra com uma lista de preços em mãos ficará mais fácil essa constatação. Sem problemas em ficar lembrando o valor pago da última vez. É difícil, eu sei, mas é necessário.

Uma lista de preços é justamente o que você mais consome em um período de tempo. Pode ser semanal, mensal ou anual. O semanal é mais prático e é a que utilizo e recomendo. Ela irá nos ajudar a identificarmos com mais facilidade o que realmente está em oferta na semana.

Uma lista pequena, apenas com produtos comprados na última semana. Colocaremos tudo em uma planilha no Excel, ou em um caderninho de anotações, como preferir. Use o que for mais confortável pra você. Crie algumas colunas: preço, marca, item, nome do supermercado, data, e o tipo de unidade (quilo, rolo, folhas, metros etc). Posteriormente, quando já estiver mais acostumado com a sua listinha, elabore categorias, exemplos: açougue, confeitaria, produtos diários, frios, vestuários e etc.

Não se incomode com aquilo que você compra de vez enquanto. Primeiramente, apenas liste o que consome semanalmente. Você poderá aumentar a mesma posteriormente e devagar, dando tempo ao tempo, e pegando costume com a coisa. Tudo que é novo, a princípio, parece chato e de difícil gerenciamento. Mas no final será mais útil do que você imagina.

O ponto é termos um benchmarck para quando efetuarmos compras e sabermos o quão maravilhoso foi poder comprar mais barato que antes.

  • Dica número 3. – Produtos Orgânicos.

Calma gente. Já sei que os produtos orgânicos são o equivalente de 25% a 100% mais caros. Mas você pode perfeitamente economizar dinheiro se comprar orgânicos sabiamente.

Orgânicos [1] significa alimentos produzidos sem fertilizantes químicos, pesticidas, ou antibióticos e geralmente utilizam recursos renováveis em seu armazenamento e plantação, como conservar a água dos alimentos e uma bela aparência. Mais saudáveis.

Não Pague mais por produtos orgânicos. Alimento com peles mais grossas têm muito menos resíduos de pesticidas. Então você pode “saltar” as frutas e vegetais como: abacate, manga, abacaxi, melancia, melão, kiwi, banana, laranja, mamão etc. Somente para citarmos alguns exemplos, esse mesmo pensamento já não é adequado para: tomates, cebolas, brócolis etc.

Não compre produtos orgânicos, porém industrializados. Exemplos: salgadinhos de batatas fritas, pasta, pão em forma fatiado, cereais, e outros alimentos empacotados. Os valores nutricionais (benefícios saudáveis) desses alimentos já foram perdidos no processo de industrialização. O preço não vale pelo menor nutriente.

Compre produtos em feiras locais e de produtores locais. Seja bairrista. Conheça sua vizinhança, pergunte a amigos e parentes, onde eles costumam comprar frutas e verduras. Você pode comprar produtos orgânicos pela metade do preço, quando comprado em colônias locais.

Coma aquilo que você plantou. Plante. Cultive. Faça a sua própria horta. Utilize o quintal, ou o jardim. Efetue uma pequena plantação de alimentos e destrua todas as flores do jardim da sua esposa (o), assim estará praticando a consumo consciente, e será a mesma terapia do jardim de flores, porém com árvores frutíferas e pequenas folhas para a salada do jantar. Isso é consumir alimento orgânico sabiamente.


Crédito da imagem: freedigitalphotos.net

  • Dica número 4. – Compre produtos da mesma marca da loja. 

Em sua maioria, os produtos vendidos com a mesma marca dos próprios supermercados (exemplo: Carrefour, Pão de Açúcar, Extra, Big, Angeloni etc) são produzidos pelas melhores marcas existentes no mercado. Somente as grandes companhias de alimento possuem espaço e marketing para efetuarem essas joint-venture [2] com os grandes supermercados. Joint venture [2] é quando uma empresa utiliza uma parte de outra companhia para a confecção de seus produtos próprios, é um empreendimento conjunto, resumindo é uma associação de empresas.

Continuando, os alimentos em geral, possuem marcas concorrentes e as lojas estão vendendo os mesmos produtos, no entanto com suas respectivas marcas na embalagem. O que pode significar o mesmo conteúdo com rótulo diferente. Podendo ser comprados com até 70% de desconto, somente porque estão sendo vendidos com uma marca “inferior” ou menos conhecida. E ai também incluímos os orgânicos.

Aqui volto à primeira dica, conforme prometido, onde falei para não comprarem os produtos denominados premiuns. Por quê? Ora bolas, porque os mesmos são produzidos pelas melhores e maiores companhias de alimentos do país e posteriormente embaladas contendo no rótulo o nome dos supermercados. O conteúdo é o mesmo, só muda a embalagem.

  • Dica número 5. – Use cupons.

Não tenha vergonha de utilizar os cupons oferecidos pelos estabelecimentos em geral. Todos os supermercados possuem ofertas e cupons de descontos. E é ai que os consumidores conscientes exploram seu melhor. Tenha visão de futuro e aproveite as ofertas hoje, estocando os alimentos não perecíveis, pagando menos.

 

Procure, busque cupons nos jornais de domingo, folhetos de promoções e os utilizem. Assim como nas referidas webs sites, onde os supers inclusive enviam folhetos de ofertas e cupons para seu e-mail, apenas efetuando um simples cadastro online gratuito. Você receberá freqüentemente Newsletters e poderá selecionar as melhores ofertas.

Bom, é isso ai pessoal. O texto acabou ficando maior que o necessário e sei que toma muito tempo lê-o completo, por isso fico por aqui por hoje. Espero ter aberto um espaço pensante na casa de vocês. Vale a pena elaborar uma pequena lista de preços dos produtos que mais consumimos. Tentarei elaborar outro texto dando continuação nesse, pois sei que ainda falta muita coisa a ser dita quando o tema é economia continua no mercado.

Para os interessados, alguns poderiam gostar de ler minha experiência de ficar um final de semana completo sem compras. Leia aqui >> “Um final de semana sem compras”.
Opine, palpite, deixe seu recado. As dicas lhe foram uteis? Você já as conhecia?
Fontes:
[2] .http://pt.wikipedia.org/wiki/Joint_venture
Ambos visitados em 28/08/2011 às 10:01 (GMT 00:00).
Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.
6 Comentários

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *