24 de março de 2017

Como sair do vermelho – parte 2

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

Controle-seus-Gastos[Gest Post] Esse é mais um excelente artigo escrito por: Anderson Adami, graduado em Gestão da Informação, mestrando em Engenharia de Produção. Atua como consultor em gestão empresarial e de informação, escreve e revisa textos nas horas vagas.

Esse guest post é como uma continuação do texto anterior de Anderson, “Introdução – Como sair do vermelho, foi quando ele nos indicou o uso de planilhas para controlar nossas finanças. Acesse o nosso post “5 planilhas financeiras gratuitas” e baixe todas a planilhas de controle financeiro mensal. Você vai gostar!

Segue abaixo o novo texto do leitor Anderson Adami. Boa Leitura a todos !!

Como visto na última postagem, sair do vermelho exige estar bem informado sobre as suas contas, afinal, quando nos encontramos nessa condição, algumas vezes sabemos apenas que nossos gastos ultrapassaram a nossa renda. E o primeiro passo, nesse caso, é reunir as informações que se dispõe e criar um controle mensal dos gastos – ou seja, colocar em dia o controle das suas finanças pessoais. Feito isso, o passo seguinte é investigar quais despesas podem ser cortadas ou minimizadas para equilibrar as contas.
[...]

Mas ainda antes de definir onde podemos gastar menos, vale a pena observar alguns detalhes importantes que vão garantir que o nosso controle fique redondinho. Primeiro, use preferencialmente uma planilha, dividida em três seções: receitas (os itens que constituem a sua renda); despesas fixas (o que você gasta fixo no mês, que não varia, tal como o aluguel); despesas variáveis (as despesas do dia a dia, como alimentação, vestuário etc.). Segundo, seja minucioso no registro das suas despesas, sem desprezar nada, nem mesmo aquele R$ 1,00 que você costuma dar de gorjeta ao guardador de carros da churrascaria, ou os R$ 2,00 que gasta, eventualmente, para tomar um cafezinho na esquina. Por quê isso é importante? Porque pensar em controle financeiro automaticamente nos leva a pensar, também, em planejamento financeiro, e ele será fundamental para que saibamos quanto as pequenas e aparentemente insignificantes despesas de cada dia vão representar no final do mês e no final do ano – e aí perceberemos que elas não tem nada de insignificantes. Um terceiro detalhe importante é tomar o cuidado de organizar as suas despesas segundo categorias, tal como: moradia, alimentação, educação, vestuário, saúde, higiene, estética, limpeza, comunicação, transporte e lazer. Sinta-se à vontade para criar quantas categorias quiser, o que importa é visualizar com clareza no quê o dinheiro está sendo gasto, e isso será imprescindível para que a nossa missão seja cumprida: sair do vermelho.

Controle pronto? Agora sim, podemos partir para a próxima etapa: definir onde vamos gastar menos, ou seja, que hábitos de consumo precisaremos mudar. Talvez essa seja uma das partes mais difíceis para fugir do vermelho, pois muitas vezes implica em abrirmos mão de velhos hábitos. Mas nem pense em pular essa etapa, porque é nela que você poderá encontrar as causas mais prováveis do seu endividamento – note que é mais fácil e comum nos preocuparmos apenas com os efeitos. A análise, a partir de agora, deverá ser criteriosa e vai se ocupar das despesas variáveis, uma vez que as despesas fixas não são negociáveis.

Sair do vermelho vai muito além das finanças

E o trabalho poderá parecer árduo, mas avalie as suas reais possibilidades de cortar ou minimizar as despesas, considerando cada uma delas. Se você gasta mais com alimentação, por exemplo, pense na alternativa de fazer as refeições em casa – o que, além de mais barato, pode ser mais saudável.  TV por assinatura: você usufrui e realmente precisa disso? E avalie também a maneira como realiza as suas compras: costuma ir ao supermercado com fome? costuma comprar coisas que não usa ou em excesso? Lembre-se: os detalhes fazem a diferença.

Quando você terminar essa etapa, comemore, pois parte significativa do caminho já foi andada. A luz, que parecia tão distante, estará mais pertinho, assim como a expectativa de sair do vermelho. E ao controlar as suas contas criteriosamente, assim como rever alguns hábitos de consumo, você poderá ter uma ideia bem aproximada do tempo necessário para sair do endividamento. Para você que já chegou até aqui e procura obter mais informações para reverter a situação atual o mais rápido possível, recomendamos o ebook do professor e doutor Elisson, “As 5 etapas do planejamento financeiro“.

Grato ao leitor Anderson por compartir conosco mais esse excelente texto.

Um abraço a todos. 

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.
6 Comentários

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *