24 de abril de 2018

Como aplicar seu dinheiro no Tesouro Direto?

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

como-aplicar-seu-dinheiro-no-tesouro-direto-20171229161308.jpg

Pequenos investidores não tem tanto capital para investir em diversos fundos, e por isso costumam escolher títulos com uma taxa de risco baixa e rentabilidade limitada para cuidar melhor de seu patrimônio. Estamos falando do Tesouro Direto. Se você quer aplicar seus recursos no Tesouro Direto, fique atento a este texto que preparamos para você lidar melhor com o mercado financeiro e fazer o seu dinheiro render mais!

O que é Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é composto por títulos públicos. Ou seja, títulos de dívida que o Governo emite para conseguir absorver investimentos e realizar suas ações. Eles têm um prazo de vencimento e uma rentabilidade que pode ser prefixada – com rendimento já definido na compra do título, ou pós-fixada – calculada de acordo com algum índice. O índice de referência mais comum é o IPCA.

Se você mantém posse de seu título até o fim da validade, receberá todo o rendimento emitido na face do certificado. Agora, também há a possibilidade de vender seu título para outra pessoa, mas nesse caso, ele será negociado de acordo com o valor de mercado. Por isso, é sempre bom ficar por dentro de quanto vale o seu título a cada dia.

O investidor que decide aplicar no Tesouro Direto pode operar por si só, comprando seus próprios títulos, ou pode ainda colocar seu capital em um fundo de investimentos. Neste fundo, um grupo de investidores tem dinheiro aplicado em diversos títulos do Tesouro Direto, cujas compras e vendas são realizadas por um administrador contratado pelo fundo.

É importante lembrar que os títulos do tesouro direto tem baixo risco, mas também proporcionam quase sempre pouca rentabilidade. Ainda assim, com boas escolhas no mercado, é possível fazer ótimos negócios e ganhar muito dinheiro.

O risco é baixo porque, ao comprar um título de dívida pública do Tesouro Direto, o investidor passa a ser credor do Estado, e como o próprio Estado é responsável pela emissão de moeda, o risco de calote é quase zero. Entretanto, essa mesma emissão de moeda pode fazer com que o dinheiro perca valor com a inflação, deixando o investidor no prejuízo em caso de títulos de rendimento pré-fixado.

Dica Importante

A dica é: avalie muito bem. Títulos prefixados têm rendimento maior em porcentagem bruta, mas correm o risco de terem valor diminuído pela inflação. Com um título baseado no IPCA, o risco de sofrer prejuízo é zero, mas o rendimento também é menor. Converse com um especialista e faça projeções do mercado e das condições da taxa de juros e da inflação para saber qual é o título mais indicado para a sua aplicação. O investidor que decide iniciar suas aplicações no tesouro direto precisa estar licenciado pela Bolsa de Valores através de uma corretora autorizada.

Para cuidar melhor do seu dinheiro e dos seus investimentos, a solução inovadora no mercado é o Meu Dinheiro. Com ele, você pode controlar suas finanças em qualquer dispositivo, e contar com funcionalidades especiais para pequenas empresas, pessoas físicas e outros.

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *