19 de dezembro de 2018

A relação entre qualidade de vida e educação financeira

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

We've managed our budget so well this month

O que você entende por qualidade de vida? A resposta costuma variar de pessoa para pessoa, e por vezes trata-se de um valor intangível. O exemplo pode vir na forma de maior liberdade para viajar e aproveitar o tempo livre, ou então no desejo de possuir uma quantia considerável de dinheiro em conta e conquistar, por consequência, uma situação financeira mais confortável. Seja qual for a solução oferecida para a pergunta, o mais importante é que estes elementos buscam traduzir o que cada pessoa entende por qualidade de vida.

Mas qual exatamente é a relação entre isto e a educação financeira? Saiba que a relação aqui é bastante íntima, e que no uso conjunto estes são conceitos que estarão ligados a esta ideia tão esotérica e fugidia que é a “felicidade”. Abandone já o preconceito de quem acredita que preocupar-se com dinheiro é o mesmo que deixar de viver. O intuito deste texto é fazer com que você compreenda como a educação financeira pode aumentar as suas chances de adquirir uma boa qualidade de vida. Mas antes de mais nada, vamos definir os conceitos.

O que é, afinal, a qualidade de vida?

A definição de qualidade de vida pode ser bastante complexa. Em um nível básico, uma pessoa que possui qualidade de vida vive em condições tais que seu bem-estar físico, psíquico, emocional e espiritual está garantido. O complexo da questão reside no fato de que os elementos que vão contribuir para este estado não serão exatamente os mesmos para duas pessoas diferentes. Podemos definir aqui, como estes elementos, desde a proximidade com pessoas queridas até a liberdade para aproveitar melhor o próprio tempo.

Do que trata a educação financeira?

De forma bem simplista, podemos considerar a educação financeira como a arte de saber lidar com o dinheiro. Sabendo administrar os seus ganhos você pode diminuir os estresses causados pelo acúmulo de dívidas e ainda garantir passos certeiros rumo à sua independência financeira. Em muitos casos as pessoas acreditam que aumentar a carga de trabalho é a única forma para melhorar as suas finanças. Mas, com frequência, é planejamento e boa gestão de recursos o que falta para estes indivíduos.

Qual a relação entre os dois conceitos?

Quando as suas finanças são bem planejadas, há menos preocupação no fim do mês. Não precisando ganhar dinheiro a todo custo, você possuirá mais tempo para si mesmo e para os seus entes queridos, o que resulta em um uso de tempo de maior qualidade. E isto ainda com a possibilidade de aumentar o seu patrimônio, já que o seu dinheiro não estará sempre sendo escoado pelo ralo das dívidas.

Além de tudo o que já foi mencionado, não dá para negar que o desequilíbrio financeiro vai trazer vários males para a sua vida pessoal e afetiva e sua estabilidade psicológica. Suas relações íntimas serão afetadas, e você pode vir a desenvolver problemas como ansiedade e mesmo depressão. E se dentro deste quadro for necessário aumentar a sua carga de trabalho para arcar com as dívidas, a queda na qualidade de vida será notável.

Concluindo – vive melhor quem planeja o que gasta

Poder deitar a cabeça no travesseiro ao fim do dia sem pensar nas contas a pagar, e possuir lucro no fim do mês sem precisar se matar de trabalhar. Constatando estes benefícios é fácil entender que pessoas com um bom controle financeiro tem melhor qualidade de vida.

Quer se aprofundar neste assunto? Você pode ler outro artigo do nosso blog.

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *