17 de junho de 2019

7 atitudes que acabam com seu planejamento financeiro

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

planejamento-financeiro

As contas parecem não fechar no final do mês e você não consegue enxergar uma luz no fim do túnel?

Saiba que alguma coisa está atrapalhando seu sucesso. Pequenas atitudes podem estar colocando todo seu esforço a perder!

Conheça agora 7 atitudes que prejudicam sua vida financeira e saiba como lidar melhor com esse desafio.

 

1. Deixar para depois

Tem quem conduza um planejamento financeiro como quem promete mudanças na virada do ano. É comum acabar deixando para frente algumas situações que consideramos indesejáveis. Se fizermos um planejamento bem feito, como sendo aquele que impõe pequenos sacrifícios e mudanças de hábito, muitas pessoas, de certo, considerarão indesejáveis. Entretanto, protelar o início do planejamento só prejudica o maior interessado, que é você mesmo. Ao decidir organizar suas finanças, coloque a ideia em prática o quanto antes.

2. Fazer contas mentais

Você pode ser ótimo em matemática, mas nem por isso deve se apoiar em contas mentais. Coloque suas contas no papel ou, preferencialmente, em planilhas eletrônicas e aplicativos de controle financeiro. Pode parecer uma atitude pequena, mas temos a tendência de respeitar menos os planos que ficam apenas no mundo das ideias. Tirá-los da mente, trazendo para o mundo real, torna-os mais factíveis e observáveis, com limites mais propensos a serem respeitados.

3. Subestimar pequenos gastos

Sabe aquele sorvete que você tomou, porque estava um calor danado, e não registrou como gasto em seu planejamento? Iguais a eles são os inúmeros gastos que temos cotidianamente e que, por terem um valor considerado pequeno ou irrisório, acabam não sendo devidamente computados. Entretanto, como diz o ditado, a união faz a força. O acúmulo desses pequenos gastos resulta, invariavelmente, em um valor considerável ao final do mês. É ele o responsável por aquela sensação de “onde foi parar o meu dinheiro”, quando verificamos nosso saldo bancário e encontramos muito menos do que esperávamos.

4. Guardar apenas o que sobrar

Ao longo de todo o mês você faz compras, paga contas e vê seu dinheiro ir desaparecendo aos poucos. Ao final do período, separa o que sobrou e guarda, considerando aquela uma forma eficiente de poupança. No entanto, o ideal é estabelecer previamente um valor mensal que se pretenda poupar e manter-se firme nesse propósito. Ao deixar para economizar apenas com o que sobrar ao final do mês, você corre o sério risco de não economizar praticamente nada, tornando tal medida sem efeito.

5. Descuidar das compras parceladas

Resolveu realizar uma compra e optou por parcelar o pagamento em 10 vezes? Pois então, entenda que você está comprometendo seu orçamento pelos próximos 10 meses com essa despesa. Como já é um valor pré-estabelecido, lance-o em suas estimativas de gastos durante todo o período. É muito comum que parcelamentos de médio prazo acabem tendo uma ou outra parcela esquecidas, pois não são curtos o bastante para a quitação rápida, sem tempo para esquecimento, tampouco longos o bastante para se tornarem um hábito, como em compra de veículos e imóveis.

6. Não ter uma reserva de emergência

Dentre as principais características da vida estão sua imprevisibilidade e dinamismo. Tudo pode mudar de uma hora para outra, fazendo surgir situações de emergência inesperadas. Não estar preparado para tais momentos talvez seja o maior erro de qualquer planejamento financeiro. Conte sempre com um valor, que esteja preferencialmente alocado em algum investimento de fácil resgate, para momentos em que tudo parecer fora de controle. Essa reserva será seu porto seguro.

7. Planejar tendo como base o salário bruto

O salário bruto é aquele que você receberia caso não tivesse desconto de nenhuma natureza, o que não acontece em situação alguma. Planejar tendo este salário como base é um erro corriqueiro, que compromete todo o processo pois, efetivamente, o salário disponível para arcar com compromissos durante todo o mês será o salário líquido, consideravelmente menor que o bruto.

Esses são apenas alguns dos principais erros relacionados as finanças pessoais. Felizmente, todos são de fácil resolução. Basta ficar atento e seguir nossas dicas.

Grande abraço!

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *