18 de novembro de 2018

5 dicas para sair do cheque especial

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

Financial problems

Uma das formas mais fáceis de crédito também pode se tornar um pesadelo: o cheque especial. Oferecido pelos bancos direto na conta-corrente do cliente, cria uma verdadeira bola de neve e traz valores irreais em relação ao valor que foi utilizado quando não pago. Assim, faz-se necessário conhecer métodos para sair do cheque especial.

O primeiro ponto nesse sentido é a prevenção: apenas em último caso – e sabendo que poderá pagar – utilize desse tipo de crédito. Outras formas de empréstimo, no próprio banco, como linha de crédito pessoal, podem ser melhores quando a situação aperta. Mas, caso o endividamento bata a sua porta, confira 5 dicas para sair do cheque especial.

1. Renegocie a dívida

Chame o gerente, sente com ele e busque renegociar. Essa é a primeira etapa para se livrar desse tipo de endividamento. É importante ser honesto e apontar quanto tem disponível para fazer a renegociação, impedindo que contraia novas dívidas por não conseguir pagar posteriormente.

Isso porque, assim como em qualquer outro caso, mais vale para o banco que você pague algo do que continue inadimplente – e ele não receba nada por isso. Em determinados casos é possível até acabar com os juros compostos acumulados e pegar taxas mais em conta.

2. Procure uma linha de juros menor

Uma prática muito comum para sair do cheque especial é, ao ter o valor total da dívida, fazer um empréstimo com uma linha de juros menor. Por exemplo: o consignado, seja público ou privado, possui taxas bem inferiores em comparação dos praticados pelo cheque especial.

Ao tomar essa atitude, vale uma pesquisa ampla sobre quais são as melhores linhas de crédito. A dica é não contratar a primeira opção oferecida pelo gerente, ou a mais fácil – ao encontrar um empréstimo com as melhores taxas você deixa de perder um bom valor em dinheiro.

3. Organize as finanças pessoais

Muitas vezes o problema não está no cheque especial, mas na forma como você gerencia o seu dinheiro. E, nesse sentido, a solução está na organização das finanças pessoais: elimine gastos desnecessários e interrompa qualquer linha de crédito com juros altos. Se possui controle suas finanças utilizando um bom gerenciador financeiro.

Ao ter uma visão ampla e espacial dos recursos que tem disponível fica mais fácil renegociar a dívida, parcelar o valor total e sair do cheque especial sem precisar recorrer a outros empréstimos – ou evitar que a bola de neve cresça ainda mais.

4. Dê prioridade a essa dívida

Esqueça qualquer outro valor que você está devendo e priorize o cheque especial. É claro que não se deve parar de pagar as outras contas aos credores, mas se é possível estender o prazo delas para acabar com a morosidade dessa linha de crédito, opte por fazer isso.

Se necessário busque rendas extras, venda algo que não utilize mais. E, principalmente: lembre-se de que esse dinheiro está sendo desperdiçado. Motive-se a pensar que, com os valores gastos, é possível realizar inúmeros objetivos que busca concretizar.

5. Não entre. Saia. Nunca mais volte

A última e valiosíssima dica para sair do cheque especial é: não entre nessa linha de crédito. Se pagou as dívidas saia para nunca mais voltar. Os juros podem ultrapassar 300% ao ano (isso mesmo) e, assim, em nenhum caso são mais atrativos que qualquer outra modalidade financeira que você possa dispor de recursos – até mesmo junto ao banco.

Quer outras dicas exclusivas como essa? Acesse nosso site, leia os artigos do blog e mude agora sua vida financeira.

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *