20 de agosto de 2017

4 considerações obrigatórias para quem vai renegociar dívidas

Ajude o Finanças Forever a crescer ainda mais. Curta e compartilhe nossa página!

consideracoes-obrigatorias-para-quem-vai-renegociar-dividas

As dívidas são os maiores empecilhos para qualquer planejamento financeiro. Além de dificultar a organização das contas, elas restringem o acesso ao crédito no mercado.

Para se livrar desse problema, a solução encontrada por muitos é recorrer à renegociação de dívidas. Apesar de esse ser um plano especialmente desenvolvido para quem quer acabar com as pendências financeiras, existem alguns cuidados importantes que devem ser observados antes de se fechar negócio.

Conheça agora as 4 considerações obrigatórias para quem vai renegociar dívidas!

1. Organização das finanças

Lembre-se que a renegociação de dívida é o primeiro passo para restabelecer a ordem das suas finanças. Portanto, é fundamental se planejar para não transformar a nova obrigação em mais um problema.

Faça um levantamento a fim de visualizar com ficarão suas despesas ao longo do mês, já considerando o valor que será destinado às parcelas do acordo. Uma boa ferramenta para te ajudar nessa tarefa é a planilha financeira, que permite um acompanhamento preciso do que acontece com seu dinheiro.

Para manter o equilíbrio financeiro, a dica é não comprometer mais do que 30% da renda líquida com o pagamento da dívida.

2. Redução de gastos

Outra atitude fundamental para quem vai renegociar dívidas é controlar e cortar gastos. É preciso ter em mente que a renegociação representará uma redução na sua renda mensal, fazendo com que algumas adaptações sejam inevitáveis.

Portanto, identifique os pequenos gastos do dia a dia que podem ser evitados, como lanches fora de casa, o barzinho com amigos ou compras feitas por impulso. Procurar por opções mais em conta ou por descontos é uma boa maneira de reduzir custos sem causar grandes impactos no seu estilo de vida.

O cartão de crédito também merece muita atenção. Nada de considerar seu limite como uma renda adicional. O ideal é utilizá-lo apenas em casos de urgência e de maneira moderada.

3. Melhor crédito para renegociar dívidas

Com as recentes quedas na taxa básica de juros, este é um bom momento para quem quer colocar as contas em ordem. Diversas linhas de crédito, como o consignado, têm reduzido suas taxas, tornando-se boas opções para quem quer trocar sua dívida por um empréstimo com juros mais baixos.

Muitos credores também dispõem de opções próprias de renegociação. Nesses casos, compare as condições oferecidas com outras linhas de crédito para escolher a que possui menores taxas de juros.

4. Condições do contrato de renegociação

Sabemos que ler um contrato antes de assinar não é costume para muitas pessoas. Se esse é o seu caso, saiba que esse é um passo muito importante e que não deve ser esquecido nessa hora.

Nesse documento estão expostas todas as condições, deveres e obrigações das partes envolvidas, de acordo com as regras previstas em lei. Por isso, fique atento ao contrato para garantir uma renegociação de dívida sem nenhum imprevisto pelo caminho.

Se você tem dívidas em aberto, comece já seu planejamento para quitá-las. Quando negligenciadas, elas aumentam cada vez mais, tornando praticamente impossível o equilíbrio financeiro para qualquer pessoa.

Agora que você já conhece as 4 principais considerações que devem ser feitas antes de renegociar dívidas, que tal dividir esse conhecimento com seus amigos compartilhando este post em suas redes sociais?

Gostou disto? Curta nossa página e compartilhe este conteúdo com seus amigos.

Adicionar comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *